Como Calcular o ponto de equilíbrio da empresa

Como calcular o ponto de equilíbrio da empresa.

O cérebro de uma empresa é seu setor contábil, onde são feitos os planejamentos e controles financeiros para que tudo se desenvolva como o esperado, sem serem surpreendidos com falta de dinheiro em caixa decorrente do descontrole dos gastos.

A referência para a organização é o chamado de Ponto de Equilíbrio, onde a receita da empresa é idêntica aos seus custos e despesas, sem deixar pendências ou buscar saídas alternativas para quitar dívidas mensais básicas.

Como é encontrado o Ponto de Equilíbrio

O objetivo da empresa é ter lucro, isto é, conseguir sanar todas as contas do mês e ainda ter boas sobras no caixa para que possam crescer. Porém, muitas empresas têm dificuldade até mesmo de atingir a margem de equilíbrio, que precisa ser o primeiro passo antes de conseguir chegar ao desejado.

Naturalmente, o Ponto de Equilíbrio não é uma meta e sim uma referência, exatamente para evitar que haja mais custos e despesas do que dinheiro para pagá-las. A partir de um controle de despesas e receitas, é possível identificar os gargalos que podem existir nos custos e despesas, para que sejam feitos ajustes aos valores recebidos.

Também conhecido como Ponto de Ruptura, Ponto Crítico ou Break-even-Point, ele é simples e fácil de calcular, com o valor total de custos fixos e as despesas fixas pela margem de contribuição, que dá como resultado a receita necessária para equiparar os gastos.

É considerado despesa fixa tudo que precise ser pago mensal e anualmente para manter a empresa. Dentre esses custos e despesas estão todas as despesas operacionais como contas de luz, aluguel do espaço, salário dos funcionários e seus benefícios, gás e água, segurança, manutenção, materiais de escritório, higiene e limpeza.

A margem de contribuição é o ganho bruto sobre as vendas, onde é incluído também o valor da matéria prima, comissão de vendas e impostos, que já estão inseridos no valor total do produto.

Para chegar ao valor da margem de contribuição é preciso somar os custos de produção como os insumos necessários e as despesas variáveis como impostos e comissão. Após o cálculo, é o seu excedente que pagará os custos e despesas fixas, além de gerar o lucro real.

Diferença entre Ponto de Equilíbrio Contábil, Financeiro e Econômico

O ponto de equilíbrio contábil possui duas variações diferenciadas, a financeira e a econômica. O cálculo simples do ponto de equilíbrio contábil soma as despesas e custos, dividindo-as pela margem de contribuição.

Quando se usa o ponto de equilíbrio contábil financeiro, exclui-se a depreciação dos ativos. Empresas grandes incluem em seu balanço a depreciação de ativos na lista de despesas, que é ignorada por esse tipo de cálculo que valoriza apenas as despesas que realmente saem do caixa.

Já o ponto de equilíbrio contábil econômico é o custo de oportunidade que é acrescentado a soma, como correção monetária das despesas fixas. Ela é contada quando o dinheiro foi aplicado num investimento, que é considerado despesa incluindo o valor que deveria ser usado caso o dinheiro não estivesse parado. Ele avalia a capacidade máxima produtiva da empresa como investimentos e toda vez que houver alteração estrutural, o cálculo deve ser refeito.

É importante compreender que é a partir do ponto de equilíbrio que a empresa tem exata noção de quanto precisa vender mensalmente para começar a ter lucro.

O que você achou deste artigo sobre como controlar as contas a pagar e receber? Então, siga os nossos perfis no Facebook , Instagram e no Twitter para ter acesso a outros conteúdos relevantes!

Gostou do conteúdo? Compartilhe com alguém que precisa ler:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Compartilhar no pinterest

Leia também: